top of page

GRANDES POEMAS DA NOSSA LÍNGUA XXI

Atualizado: 17 de jun. de 2023

A língua portuguesa tem pérolas esquecidas, espalhadas em velhos livros já não lidos. Agora, passamos a homenagear Vinícius de Moraes, um dos poetas brasileiros que melhor falou de amor. O poema de hoje fala do amor dedicado e compensador...



Imagem de Pensar Contemporâneo


SONETO DA FIDELIDADE


De tudo ao meu amor serei atento

Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto

Que mesmo em face do maior encanto

Dele se encante mais meu pensamento.


Quero vivê-lo em cada vão momento

E em seu louvor hei de espalhar meu canto

E rir meu riso e derramar meu pranto

Ao seu pesar ou seu contentamento


E assim, quando mais tarde me procure

Quem sabe a morte, angústia de quem vive

Quem sabe a solidão, fim de quem ama


Eu possa me dizer do amor (que tive):

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure.



Marcus Vinícius da Cruz de Mello Moraes ( 1913/1980 ). Cumpriu inúmeros e diversos papéis, de diplomata a poeta, de jornalista a compositor, passando por dramaturgo e cantor. Em parceria com Toquinho, compôs, talvez, os melhores sambas da música brasileira. Em parceira com Tom Jobim compôs uma das músicas mais famosas no mundo: Garota de Ipanema. Na poesia notabilizou-se por seus sonetos. O soneto de hoje é o Soneto da Fidelidade, escrito em 1939. Você também o encontra no livro Poemas, Sonetos e Baladas - Edições Gavetas - São Paulo - 1946.



Comments


bottom of page