top of page

IMPERFEIÇÃO

Um poema de Luiz Henrique Barbugiani.



Imagem de Tonah por Pixabay


IMPERFEIÇÃO


A vida é matreira

Obscurece o que deveria ser de importância corriqueira.

Mera bobeira das pessoas dessa era,

Daqueles que a ela tudo direcionam

Só e quando ela pode ser bela e austera.


Não existe definição.

Não há qualquer confusão.

O que acontece no coração

É uma pura ilusão.


Mas a vida continua com ou sem pecado.

Alastra-se para todos os lados,

Independe dos resultados,

Incorpora muitos legados.


Perfeição não é virtude.

É simulação sem concretude,

Em um universo complexo.

A imperfeição não é exceção é um específico plexo.


Quanto a isso, não há remédio,

Na realidade é algo etéreo.

Os que conhecem a vida e a ela entendem são soberanos

Em todo ambiente.


Seus transeuntes são dedicados e assustados como todo ente.

Apenas medos e pecados podemdefinir o que se sente,

Por todo lado e em nossa mente.

Pela vida,

Pela morte,

Pelo silêncio e

Por toda sorte

A imperfeição está e sempre estará presente

E, ainda, não sabemos o que virá pela nossa frente...



Este poema faz parte do livro Elucubrações e Devaneios da Vida em Tempos Imperfeitos e Quase Cinzentos, de Luiz Henrique Barbugiani - Editora Giostri, São Paulo - 1ª Edição 2022.

Commentaires


bottom of page