top of page

CARTAS À REDAÇÃO

Balas Zequinha, remador do Ben-Hur, crítica feroz à Casablanca. Escancaramos tudo. Dos leitores aos leitores.

BALAS ZEQUINHA - Minha amiga Marta me chamou a atenção para a imperdoável falha de não mencionar Paulo Rohrbach, um dos autores das figurinhas das Balas Zequinha. Rohrbach, já falecido, está sendo homenageado com uma exposição de litografias na Casa Wilson Martins, que permanecerá aberta até o dia 5 de maio (não sei se nestes tempos de coronavírus já não foi suspensa). Marta, que trabalhou com ele na Secretaria do Meio Ambiente, conta que ele era do antigo DGTC, Departamento Geral de Terras e Cartografia, e costumava desenhar os funcionários na cantina da repartição. Um ser amável e que confessou a ela nunca ter ganho nada com as figurinhas, destino habitual na província, onde os artistas arrumam emprego público ou morrem de fome.


REMADOR DE BEN-HUR - Outro presuntivo leitor, amável, sabendo de minha colaboração ao site, informa que, infelizmente, não teve tempo de ler. Embora aquarentenado, inúmeras ocupações o impediriam de partilhar conosco o otium cum dignitate a que nos propomos nestas páginas. “Estou trabalhando mais que remador do Ben-Hur”. Isso me fez lembrar a história do cidadão que, sabendo que seu amigo havia escrito um livro, declarou, firme, que o compraria, “mas ninguém vai me obrigar a ler”. Fui testemunha ocular na Boca Maldita, junto com outros pândegos.


REMADOR DE BEN-HUR 2 - Falando em remador de Ben-Hur, outro leitor arguto pergunta quando este articulista vai justificar o seu interesse em Charlton Heston e Stephen Boyd e seu relacionamento tóxico. Afinal, aquela famosa corrida de bigas (sempre imitada, filme após filme, ainda mais em tempos digitais) trata do quê? Aguardem.


SUGESTÃO - Falando em pândegos, um deles me informou que, por problemas óticos, está lendo somente livros com letras grandes (de preferência poucas) e muitas figurinhas. Ele nos recomenda em especial fotos das atrizes do setor de entretenimento adulto. “Fará um grande sucesso. Afinal, seus leitores estão precisando de estímulo.” Entretanto, o editor insiste em nos manter no anonimato, certo que a posteridade fará justiça aos nossos esforços literários. Tem razão o ilustre publisher. Afinal, quem quer ser um influencer e ganhar milhões de abobrinhas com os leitores? Isso aqui não é BBB. Nós ainda continuamos achando que Big Brother é do mal, conforme nos foi ensinado no já esquecido livro 1984, de George Orwell. Continuamos com nossos 5 leitores.


CASABLANCA FOREVER - Outro leitor atento, em comentário ao filme Casablanca, me informa que DISCOS VOADORES EXISTEM e CONSPIRAÇÃO DO PARTIDO COMUNISTA CHINÊS EM CONLUIO COM A CIA ESCONDE A INFORMAÇÃO DAS PESSOAS. PASSE ADIANTE. Passei.


VOLDEMORT – Uma alma bem intencionada, preocupada com a situação do país, pergunta quando vou deixar de ser alienado e começar a discutir aquele-que-não-pode-ser-nomeado. Nunca.


Balas Zequinha é um dos motivos que justificam nosso desalentado amor por Curitiba. Paulo Rohrbach, desenhista, em um país realmente sério teria uma estátua em praça pública, junto com o criador original, o gráfico alemão Alberto Thiele (que o desenhou até o número 50, sucedido por Rohrbach). Maiores informações com Aramis Millarch e Valêncio Xavier. A exposição na Casa Wilson Martins é imperdível, infelizmente prejudicada pela pandemia. Na rede você pode encontrar as figurinhas.


Comments


bottom of page