top of page

AS ÚLTIMAS BARBARIDADES DESTE DESGOVERNO

O show de horrores prossegue…




  • Bolsonaro - Às vezes penso que a paciência dos governistas presentes na CPI seja infinita. Basta analisar: os quatro senadores estão ali, sofrendo todo desgaste de tentar defender o indefensável, sofrendo prejuízo eleitoral ainda apregoando tratamento precoce, fazendo colocações absurdas e claramente tentando desviar o foco; mas todos seus esforços são diária e rotineiramente sabotados pelo próprio Presidente da República. É Bolsonaro sem máscara, causando aglomerações, destratando a China e oferecendo cloroquina. Acho que os quatro deveriam ligar ao Presidente e gritar: se quer que continuemos sua defesa, para de fazer m…


  • Pazuello - A defesa do ex-ministro à cobrança do exército por sua participação em manifestação com o Presidente da República foi o ponto mais patético da semana. Pazuello alegou candidamente que era apenas um passeio de moto, não uma manifestação pública. Que não era um ato político, pois o Presidente da República sequer tem partido. O argumento é tão infantil que faria corar um moleque de dez anos de idade e deve ter feito corar de indignação a alta cúpula do exército brasileiro. Afinal, foi claramente um ato político com objetivos eleitorais, pouco importando a filiação partidária de Bolsonaro. Pazuello subiu num carro de som, foi ovacionado por bolsonaristas e ouviu Bolsonaro fazer campanha. Sua defesa desrespeita o alto comando do exército e ofende sua inteligência. Aguarda-se punição à altura, a despeito da interferência direta do Presidente da República. Trata-se de fazer respeitar o regulamento militar. Qualquer condescendência será desastrosa aos dois principais pilares das forças armadas: disciplina e hierarquia.


  • CPI - O depoimento do Diretor-Presidente do Instituto Butantan provou que a pessoa que fala a verdade não passa apuros. Dimas Covas respondeu tranquilamente a todas indagações, mesmo as provocações dos quatro senadores governistas. E deixou claro o quanto o Presidente da República prejudicou/prejudica o combate à pandemia: atraso na aquisição das vacinas, dificuldades na obtenção de insumos junto à China, maus exemplos à população.


  • Daniel Silveira - O deputado bombado vai responder, por entendimento da Polícia Federal, também por crime de desacato. Quem lembra a cena, entende porquê. Silveira deu de dedo e fez ameaças à servidora pública que, cumprindo seu dever, exigia que o deputado colocasse máscara para entrar em prédio público. Silveira ( PSL/RJ ) foi arrogante como costumam ser os negacionistas e merece responder por seus atos.

Commenti


bottom of page