top of page

AS ÚLTIMAS BARBARIDADES DESTE DESGOVERNO

Está batendo o desespero?



Bolsonaro - Cada vez mais enrolado com as revelações da CPI da COVID-19, o Presidente da República vem dizendo que não há escândalo porque nenhum centavo foi gasto com a Covaxin. Este papo furado vem sendo repetido por Quiroga e pela tropa de choque do governo na CPI. Ora, ora… não foi gasto um centavo porque o servidor consciente impediu a maracutaia. E, senhor Presidente, tanto a corrupção passiva quanto o peculato são tipos-crime que admitem a tentativa. E tentativa de crime é passível de punição, Bolsonaro. Algo que pelo menos o Senador Marcos Rogério, por ser advogado e para não envergonhar seu próprio diploma, deveria saber.


Bolsonaro - O Presidente continua com a lenga-lenga de que não existe corrupção em seu governo. Ninguém que tenha ao menos dois neurônios - algo que é exigir demais dos zumbificados que frequentam o cercadinho do Alvorada - acredita mais nisso. Ou será que o caso Covaxin não é claramente corrupção? E a reforma do Ministério da Saúde sem licitação, sob argumento de urgência? E a liberação de madeira ilegal pelo agora ex-Ministro do Meio Ambiente? E furar o teto salarial do serviço público para favorecer generais ministros e a si mesmo, não é corrupção, Bolsonaro? E a rachadinha, etc, etc.


Bolsonaro - Ele continua se esmerando. Agora anuncia que em uma de suas patéticas lives irá levar hackers amigos seus para provar que a urna eletrônica não é confiável. Todo mundo lembra bem que o Presidente prometeu - há muito tempo atrás - apresentar as provas que tinha sobre as fraudes na eleição de 2018. Nunca apresentou nada. Agora diz que os hackers farão isso. Alguém deveria dizer a Bolsonaro que hackers são criminosos e que ele está reconhecendo ter amigos criminosos. Bem, nenhuma novidade nisso…


PGR - Colocada contra a parede pela Ministra Rosa Weber, finalmente a PGR resolveu agir e mandar investigar a possível prevaricação de Bolsonaro no caso Covaxin. Claro, pode ser mais um jogo de cena, para em breve arquivar dizendo que não há elementos que indiquem a responsabilidade do Presidente da República. Afinal, a PGR segue de joelhos na era Augusto Aras. Pode também ser um recadinho de Aras a Bolsonaro, dizendo mais ou menos isso: olha, o Marco Aurélio tá se aposentando… é bom me indicar para a vaga do Supremo desta vez, senão…


Arthur Lyra - Por mais consistentes e respaldados que sejam todos os pedidos de impeachment que estão na sua mesa, especialmente o super pedido formulado em conjunto por forças de todos espectros políticos, por artistas, por juristas, por milhares de brasileiros enfim, Lyra não vai tocar o impeachment pra frente. O centrão é o centrão. Enquanto o negócio for lucrativo, tudo segue como combinado. Mas o centrão é o centrão. E de repente, tudo pode mudar...


Comments


bottom of page