top of page

AS ÚLTIMAS DESTE DESGOVERNO

É inevitável o sentimento de desesperança que nos cerca.




Confesso que, ultimamente, sinto-me cada vez mais desesperançado com o nosso país. Há uma inegável sombra pairando sobre a nação, como se uma revoada de abutres pairasse sobre nosso futuro, antecipando morte e dor. É um sentimento impreciso, reconheço, mas é possível apontar algumas das últimas notícias para buscar as suas origens.


  • Impeachment - Não, infelizmente não se trata do impeachment de Bolsonaro, com mais de uma centena de pedidos bem fundamentados amarelando nas gavetas da Presidência da Câmara. Estes não seguirão, porque o Planalto está comprando a paralisação de Arthur Lyra à custa de emendas milionárias e do controle do orçamento secreto. Refiro-me, entre revoltado e surpreso, ao impeachment de um Ministro do Supremo Tribunal Federal - no caso Alexandre de Moraes - apresentado ao Senado pelo próprio Bolsonaro. Num país sério, o Presidente do Senado rasgaria o pedido diante das câmaras, já que é clara afronta às instituições e à democracia. Mas não se pode esperar isso do sempre passivo, comportado e iludido, Rodrigo Pacheco.


  • Farsa I - O Presidente da República vetou o valor bilionário ( quase 6 bilhões ) para o fundo partidário em razão das eleições do ano que vem. Em tese, seria de parabenizar Bolsonaro, pois o valor, em época de crise econômica, é um acinte, um escândalo. Ocorre que os não ingênuos já perceberam que se trata de um teatrinho. Os políticos queriam mesmo entre 3 e 4 bilhões - ainda assim valores absurdos. Aprovaram 6 para o Presidente vetar, fingindo indignação frente às câmeras e, depois, o executivo sugerir algo em torno de 3 ou 4 bilhões. Exatamente o que os políticos queriam. Todos saem bem, todos ganham, menos o povo brasileiro. Podem conferir…


  • Farsa II - A pedido da Subprocuradora Lindôra Araújo, o Supremo Tribunal Federal determinou medidas restritivas e o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra os Bolsonaristas Sérgio Reis, o deputado Otoni de Paula e o ruralista Antônio Galvan, que acintosamente incitam violência contra o Senado Federal e o Supremo Tribunal Federal. A princípio, causa surpresa que Lindôra Araújo tenha, pela primeira vez, cumprido com suas obrigações de representante do Ministério Público, porque, até então, sempre agiu como advogada de defesa do Presidente da República ( vide sua justificativa para o Presidente recusar o uso de máscaras!! ). Mas então, pensando um pouco, é compreensível. Outro teatrinho… afinal, Augusto Aras está para submeter sua indicação à recondução da PGR ao Senado Federal. Então, para ver seu nome aprovado, faz este movimento enganoso, como que acenando que poderá mudar sua atitude e recuperar a dignidade da PGR, totalmente ajoelhada perante o governo federal em sua gestão. Quem acredita nisso?


  • 7 de Setembro - Redes Bolsonaristas estão preparando algo muito grave para o próximo 7 de Setembro. Açulados pelo Presidente, cujo desespero levará ao caminho mais inseguro possível para o Brasil, milhares de alucinados invadirão as ruas, conspurcando as cores verde-amarela.Não é de duvidar que, em Brasília, pratique-se violência contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal; não é de duvidar que nas demais capitais, pratique-se violência contra aqueles que são contra Bolsonaro. Enquanto isso, as Forças Armadas seguem em sua postura de esfinge...


Tudo isso, causa profundo desalento e me envolve em imensa desesperança. Afinal, nunca houve ( des ) governo tão errático, incompetente, violento, estúpido e genocida como este. A simples ideia de sua permanência por meio de um regime autoritário é suficiente para levar qualquer homem de bem ao desespero. Penso, realmente, que nunca a frase de Rui Barbosa foi tão adequada: de tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.

Коментарі


bottom of page