top of page

ORIENTE MÉDIO EM EVIDÊNCIA


A região marcada por conflitos e pelo poder econômico está em foco.



Mohammad bin Salman em imagem de Band.


A semana que termina colocou o Oriente Médio em evidência. Isso se deu por dois eventos de interesse mundial e um de interesse doméstico. Vamos a eles:


* Lula na Arábia Saudita - Alguns disseram que é hipocrisia. Afinal, a imagem dos Bolsonaro derretendo-se diante do clima e do poder do príncipe Saudita foi motivo de críticas acerbas e chacotas da esquerda. Agora, a direita surfa nas comparações e nas ironias. Bem, há diferenças: Lula não está voltando com joias milionárias escondidas na bagagem ( ao menos que se saiba ) e não disse que tem grande afinidade com o príncipe Mohammad bin Salman - um ditador de uma monarquia dura e misógina.


Mas cá entre nós, as críticas cabem. Qualquer salamaleque para um tirano cai mal e não devia ser praticado por um líder que se diz democrático. O dito pragmatismo que não pode simplesmente obliterar as relações comerciais poderia ser atendido por missões comerciais comandadas por um ministro. A verdade é que Lula não tem aversão a ditadores, pelo menos muitos deles ( Maduro, Putin, Ortega e outros ) e seu compromisso com a democracia é e sempre foi circunstancial.



* COP 28 nos Emirados Árabes - O mundo ferve com recordes de temperatura média e desastres ambientais em todos cantos do planeta e novamente os líderes se reúnem fazendo propostas e promessas. É difícil esperar grandes mudanças numa cúpula sediada em um país em que a produção de petróleo é mais que central, é vital, visceral.


Lula já fez um duro discurso, acusando as grandes potências de não cumprirem com as obrigações assumidas em Kyoto e Paris. Contudo, Biden e Xi Jinping nem deram as caras e estão pouco se lixando para o que Lula pensa. Também nós, aqui no Brasil, não estamos dando conta de nossas obrigações ambientais. Então, tudo somado, é bom não acalentar quaisquer ilusões...



* Guerra em Gaza - Após sete dias de trégua, as bombas voltaram a cair em Gaza, matando indiscriminadamente. A loucura desta guerra fratricida ( que palestinos e israelenses não me ouçam chamando-os de irmãos ) escandaliza o mundo. A guerra da Ucrânia já havia deixado claro que a ONU não tem poder para controlar ninguém e que leis internacionais estabelecendo normas para os conflitos pouco valor possuem.


O conflito em Gaza novamente escancara esta realidade, de uma maneira sanguinária e escandalosa. Basta que as potências estejam sob o poder de extremistas, como ocorre atualmente com a Rússia e com Israel, para que os valores humanos deixem de ter valor.


Os países estão em guerra e o planeta está em guerra contra a humanidade. Tememos pelo futuro das novas gerações...



Para quem tem interesse em conhecer a história de como a atual dinastia saudita chegou ao poder recomendamos a leitura do artigo "Príncipe das Arábias", de Hatsuo Fukuda, publicado aqui no último 11 de maio.

Comments


bottom of page