top of page

CPI DA COVID VII

A omissão na aquisição das vacinas definitivamente demonstrada.

Imagem deJL GporPixabay


Depois dos depoimentos de Fabio Wajngarten e do representante da Pfizer, Carlos Murillo, somente fanáticos lobotomizados ainda defendem o governo Bolsonaro. Afinal, restou demonstrado sem sombra de dúvidas que, não fosse a omissão criminosa do governo federal, poderíamos estar muito mais avançados na vacinação dos brasileiros. Um avanço de milhões de cidadãos vacinados, o que implicaria em poupar milhares de vidas.


O documento trazido por Wajngarten na quarta-feira - que aponta para ofertas da Pfizer desde agosto do ano passado - foi cabalmente comprovado pelo depoimento do representante da Pfizer no dia de ontem. O Brasil poderia ter fechado contrato com a Pfizer já em outubro do ano passado, mesmo antes da liberação pela ANVISA, o que nos asseguraria as vacinas já no primeiro trimestre de 2021. Ao invés disso o governo nada fez e perdemos nossa vez na fila. E o número de mortes crescendo…


Assim, praticamente a CPI já cumpriu sua tarefa, pois as outras acusações - gastos com cloroquina, desinformação e postura antieducativa do Presidente da República são demonstrados por documentos. E convenhamos: a postura criminosa de Bolsonaro, ao promover aglomerações, ao não usar máscara, ao condenar vacinas, são do conhecimento geral.


Resta aos governistas continuar clamando pela investigação de governadores e prefeitos. O que, aliás, pode e deve ser feito, mas no âmbito das assembleias legislativas e câmaras municipais. Nenhum problema em rastrear os recursos federais e checar seu emprego, punindo desvios que, provavelmente, aconteceram.


Mas torna-se cada vez mais difícil o papel dos governistas. É como um advogado de defesa cuja tarefa seja defender o Jairinho, por exemplo. É quase impossível, dadas as evidências de culpa. Pra piorar, o governo federal abriu um trem da alegria, com aumentos nos salários do primeiro escalão da ordem de mais de 60% ( quebrando, inclusive, o teto… ). E no Congresso Nacional corre o escândalo das emendas secretas ao orçamento, favorecendo apaniguados. Assim, quem ainda acredita na integridade do governo Bolsonaro está, também, entre os zumbis lobotomizados…


Semana que vem Pazuello terá que depor. Um habeas corpus impetrado pela AGU - verdadeiro absurdo, pois Pazuello não compõe mais o governo - postula pelo seu direito de ficar calado. Mas calado ou falando a situação de Pazuello não melhora. Fica evidente que a estratégia de covarde, fugindo ao depoimento, voltou-se contra ele, já que agora, com os depoimentos de Wajngarten e Carlos Murillo, a CPI tem ainda mais elementos para colocar o ex-Ministro contra a parede. Ele será trucidado e o governo Bolsonaro fará o usual: finge que não é com ele, entregando Pazuello como boi às piranhas.


Comments


bottom of page