top of page

CPI DA COVID XIII

O Osmar, definitivamente por Terra...


Imagem deJL GporPixabay


O ser humano muda. É da sua natureza. É da contingência de nossa fragilidade, de corpo e alma. Sem entrar num casulo, dia a dia vamos sofrendo uma metamorfose que nos conduzirá - assim se espera - a um estado melhor. Ganhar asas, quem sabe?


Osmar Terra, por exemplo, não se tornou uma borboleta. Não ganhou asas. Tornou-se um ser mesquinho, pequeno e vil. Nem sempre foi assim, contudo. Formado médico pela UFRJ, Terra lutou contra a ditadura nas linhas do Partido Comunista Brasileiro. Enquanto militante de esquerda, conheceu e casou com Mônica Tolipan, presidente do DCE - Diretório Central dos Estudantes da PUC/RJ. Mônica foi presa por três vezes pelo regime militar. Numa delas, foi torturada duramente, somente salva pela interferência do bispo Lorscheiter.


A tortura foi ordenada e conduzida por ninguém menos que Carlos Alberto Brilhante Ustra. Como?????? COMO????? Fiquei pasmo ao saber deste fato, porque me veio à mente a terrível pergunta: como é possível que Osmar Terra colabore com o governo Bolsonaro e tenha intimidades com o Presidente, quando sabe que Bolsonaro elogia Brilhante Ustra e o tem como uma espécie de ídolo do mal? Como alguém pode se rebaixar ao ponto de servir a quem concorda com os torturadores da própria esposa?


As pessoas mudam, mas como explicar a trajetória de Osmar Terra? Ele sempre teve um viés de esquerda, ligado aos movimentos populares e ao sindicalismo. Trabalhou com medicina popular. Encerrada a ditadura, elegeu-se deputado federal. Foi prefeito de Santa Rosa ( RS ) e depois Secretário de Saúde do Rio Grande do Sul. Finalmente, foi Ministro do Desenvolvimento Social do governo Michel Temer.


Como uma carreira respeitável, tanto médica quanto política, pode descambar no negacionismo, na postura servil a um governo autoritário e na responsabilidade direta por milhares de mortes na atual pandemia? Como chegou à figura patética que errou em todas previsões acerca da pandemia, que desorientou milhares de pessoas e acabou por depor na CPI da Covid? Como se transformou nesta figura arrogante, insensível, que fala como se não tivesse qualquer relação com a maneira caótica com que o governo federal tratou o enfrentamento à pandemia?


Na célebre frase de Heráclito, um homem não se banha duas vezes no mesmo rio. Temos responsabilidade pelo novo homem que acorda, diariamente, em nossa cama. Temos o livre arbítrio. Temos escolha sobre nossa própria metamorfose. Se Osmar Terra optou por se tornar um verme é porque assim decidiu. Optou por ser um verme, não uma borboleta. Mas creio que a semente do verme e da borboleta sempre estiveram lá. Terra fez seu caminho. Escolheu o verme. Alguém que serve a quem aplaude/cultua o torturador da própria esposa. Por tudo isso, certamente merece a alcunha que recebeu em sua senda negacionista: Osmar Trevas.



Comments


bottom of page