top of page

O 7 DE SETEMBRO

Será que as pessoas sabem, realmente, por que estão indo às ruas?





Se tiver interesse sociológico ou mera curiosidade acerca do comportamento humano, aborde qualquer cidadão que esteja participando dos atos convocados por Bolsonaro neste 7 de Setembro. Aproxime-se e pergunte com gentileza contra o que estão protestando. Você certamente obterá as seguintes respostas:


-- Contra o Supremo!


-- Contra o Congresso!


-- Não deixam o Presidente governar!


-- Contra o comunismo!


Se você ainda tiver paciência e sentir-se seguro para fazê-lo procure retirar das pessoas que deram estas respostas alguma elaboração mais profunda. O que diz protestar contra o Supremo não saberá dizer, afinal, o que é que o Supremo Tribunal Federal fez de errado ( quando muito dirá que Alexandre de Moraes e Barroso querem fraudar as futuras eleições ); O que falou mal do Congresso dirá que todo político é corrupto e que é preciso fechar o Congresso Nacional. O que entende que não deixam Bolsonaro governar será incapaz de dizer em qual iniciativa de governo o Presidente da República foi obstruído. Finalmente o que apontou o comunismo gritará alucinado que nossa bandeira é verde-amarela e não vermelha.


É isso mesmo. Dez em dez pessoas que estarão nas ruas nas hostes bolsonaristas não sabem porque estão ali. É natural que assim seja. Afinal, são pessoas ignorantes e mal informadas. Tal como um cidadão gordo por consumir muito fast food, o cérebro destes cidadãos está disfuncional pelo consumo de fake news. As pessoas só ouvem mentiras e circulam em grupos que apenas reproduzem mentiras. Recusam-se a acompanhar veículos sérios de comunicação porque acham que a imprensa livre só quer desestabilizar o governo. Em última instância, recusam-se a pensar. E este é o patamar final do fanatismo.


Qualquer um que pense e esteja minimamente informado sabe que o STF merece críticas, mas nem de longe merece a demonização que está sofrendo. Os ministros cometem erros, sim, mas de modo algum representam um entrave ao governo Bolsonaro. Pode-se até mesmo questionar fundamentadamente a origem do inquérito das fake news, mas não se pode esquecer que ele surge no contexto de uma Procuradoria Geral da República aparelhada pelo Estado, domesticada pelo governo federal. Ou seja: o problema não é o STF.


Do mesmo modo, todos sabemos que o Congresso Nacional não é o sonho de alguém que leva fé na política e na democracia. Mas inegavelmente ele é o que o Brasil é. Infelizmente, este Congresso Nacional nos representa. O povo brasileiro elegeu estes homens. Churchill dizia que a democracia é o pior dos regimes… depois de todos outros. Sim, na democracia é difícil governar. É preciso negociar e apresentar boas propostas, algo de que este governo é incapaz. Os homens e mulheres que estão nas ruas neste 7 de Setembro protestando contra o Congresso parecem simplesmente desconsiderar que Bolsonaro está abraçado com o que há de pior no Congresso Nacional: o centrão. Ou seja: o problema também não é o Congresso Nacional.


Quanto ao comunismo… meu Deus! Acorda povo estúpido! Não estamos mais na guerra fria onde a ameaça do comunismo poderia ser significativa e levada a sério. Comunismo hoje parece história pra assustar criancinhas. Se no ínício da década de 60 a marcha das famílias estava preocupada com o comunismo, até poderíamos compreender ( e deu no que deu… ). Hoje é simplesmente ridículo. A Venezuela, tão apregoada, parece muito mais uma ditadura bolsonarista que qualquer regime comunista. Ou seja: tampouco o problema é o comunismo.


Cidadão que está nas ruas no 7 de Setembro, apropriando-se inadequadamente das cores e dos símbolos nacionais. Pense só um pouquinho e perceba. O problema é Bolsonaro. Ninguém impede o Presidente de trabalhar; ele não tem a ética do trabalho. Até agora não se dignou a governar. Governar implica em inúmeras reuniões com seus ministros, cobrando metas e resultados, mudando rumos. Dá trabalho. Bolsonaro acha tudo isso chato. Ele gosta de andar de moto e falar para a sua claque lobotomizada do Palácio da Alvorada. A verdade é que Bolsonaro nunca trabalhou na vida: foi expulso do exército e passou 28 anos no legislativo sem fazer absolutamente nada! Portanto, não tem a ética do trabalho. E, aparentemente, criou seus filhos como meninos mimados que também não entendem o valor do trabalho.


Cidadão que está nas ruas neste 7 de Setembro. Pense um pouquinho só e entenda… O problema é Bolsonaro. Ele é, sem dúvida, o pior Presidente que a República já viu. Ele nos envergonha todos dias, a cada gesto, a cada palavra. Seus ministros - todos eles - têm o pior desempenho da história da República ( especialmente saúde, educação, meio ambiente, justiça, cultura e relações exteriores ). Ele é boçal na verdadeira acepção da palavra. É claramente inadequado para o cargo e incompetente. É grosseiro, rude, sem empatia, sem coração, violento e genocida. Enfim, ele é o problema.


Comments


bottom of page