top of page

PEQUENAS ALEGRIAS NATALINAS


Quão afável é teu coração

Que quiseste nascer nosso irmão



Imagem de Jill Wellington por Pixabay



A cidade está envolvida na aura natalina. O prefeito Rafael, festeiro por natureza, deve ter o Natal como sua festa predileta, e inundou a cidade com eventos.


Na Praça Osório, uma feira animada. No centro, rodeando o chafariz, a praça de alimentação oferece curau, pamonha, espetinhos, pasteis, comidas italianas, portuguesas, e o mais que a imaginação dos feirantes inventou. Concorrida, a feira. Um pouco adiante, o agora tradicional Natal do Bamerindus – que depois foi do HSBC e agora é do Bradesco – na Boca Maldita, começa a atrair os espectadores, famílias e crianças, principalmente. É um belo coral, que enche as ruas da cidade com seus cantos. Muita gente sentada na calçada, evitando cuidadosamente as poças de água (tinha chovido durante a tarde) alguns precavidos com seus banquinhos de plástico. Toda a Rua XV está tomada pelo espírito natalino.


No Passeio Público, um carrossel com cavalinhos é a atração. Uma longa fila de crianças e seus pais se forma. Normalmente frequentado no final da tarde só pelos atletas do baralho e alguns poucos caminhantes, o Passeio está atraindo famílias inteiras com suas luzes natalinas.



Imagens de Hatsuo Fukuda



Na Praça Santos Andrade, do lado esquerdo da ultra conservadora Faculdade de Direito, montaram uma roda gigante. No centro da praça há uma casa de Papai Noel, com uma pequena fila de criancinhas ansiosas. Elas ainda acreditam em Papai Noel, coitadinhas. No cair da noite, uma banda percorria a praça em direção à roda gigante, enchendo o ar com músicas natalinas, entre elas minha predileta, Boas Festas, de Assis Valente:



Eu pensei que todo mundo fosse filho de Papai Noel

Bem assim felicidade

Eu pensei que fosse uma brincadeira de papel



Deve ser uma das mais tristes canções da música brasileira. E é uma canção natalina. Assis Valente a escreveu em um quarto de hotel obscuro, em uma de suas crises depressivas, durante um Natal regado a cachaça e solidão.


O Natal parece ser uma época propícia a canções tristes. A clássica White Christmas (Irving Berlin), cantada por todos os grandes, é uma canção melancólica:



I’m dreaming of a White Christmas

Just like the ones I used to know

May your days be merry and bright

And may all your Chistmases be White



Noite Feliz (Mohr e Gruber), o clássico de Natal, não é só uma canção natalina - é um hino religioso -, cantada em todas as línguas, e em todas a melancolia se faz presente.



Noite feliz, noite feliz

Ó Senhor Deus de amor

Pobrezinho nasceu em Belém

Quão afável é o teu coração

Que quiseste nascer nosso irmão



A mensagem não se dirige apenas aos cristãos, é universal.


Ainda bem que as criancinhas acreditam em Papai Noel. Não são coitadinhas, elas têm o coração afável.

Tenha um Feliz Natal, seja qual for a sua fé.

Comments


bottom of page