top of page

QUEM ARMOU O CRIME ORGANIZADO?


Políticas públicas têm consequências que se projetam no tempo. Para o bem e para o mal.


Imagem de: www.slon.pics / Freepik

A Polícia Federal prendeu, na última terça-feira, 19 pessoas que vendiam armas ao crime organizado. A operação - denominada Fogo Amigo porque atingiu policiais militares envolvidos com a quadrilha - foi levada a cabo na Bahia, Pernambuco e Alagoas e resultou na apreensão de uma quantidade impressionante de armas e munições, bem como no bloqueio de recursos da ordem de 10 milhões de reais.


Esta notícia, que poderia parecer de menor importância em meio a tantas tragédias nacionais, é extremamente relevante por revelar o dano que políticas públicas equivocadas podem ocasionar. É que a maior parte dos membros da quadrilha eram CACs - Colecionadores, Atiradores ou Caçadores. Como se sabe, o governo Bolsonaro, desde o seu início, empenhou-se na liberação irresponsável ( talvez até criminosa ) de armas e munições. Os frutos deste plantio maldito estão sendo colhidos agora.


No governo Bolsonaro, entre muitas outras medidas, possibilitou-se aos CACs a posse de até 60 armas, sendo 30 de uso restrito, 1000 munições/ano para cada arma de uso restrito, 5000 munições para cada armas de uso permitido e, de quebra, 20 quilos de pólvora. Para piorar a situação, retirou-se do exército a capacidade de controlar as armas e dificultou-se o rastreamento de munições. Uma Portaria de 2020 revogou três Portarias que impunham normas de rastreamento para munições de armas de uso exclusivo do exército.


Pessoalmente sempre me perguntei porque um governo dificultaria o rastreamento de munições. Que boa razão poderia justificar semelhante medida? Por mais que pensasse, impossível encontrar uma boa motivação, pois claramente favorece o criminoso. Logo, a motivação somente poderia ser torpe. Para uma pessoa ligada às milícias e patrocinado pela indústria de armamentos, como Jair Bolsonaro, as suposições que me cruzaram a mente eram terríveis. E lamentavelmente lógicas.


O governo Lula ( que também derrapa em muitas áreas ) agiu bem limitando bastante o acesso às armas e munições. Mas o mal já foi feito. A farra dos armamentos durante os quatro anos de Bolsonaro no Planalto geram danos que serão sentidos pelo povo brasileiro por muitos e muitos anos. Décadas, em verdade. A Operação Fogo Amigo é apenas uma ponta do iceberg. Há todo um submundo que cresceu na criminosa irresponsabilidade da política armamentista do governo anterior. Cresceu como fungos em lama e sombra. Políticas públicas têm consequências que se projetam no tempo. Para o bem e para o mal.

Comentários


bottom of page