top of page

QUANDO QUANDO QUANDO

“Dimmi quando tu verrai, Dimmi quando...quando...quando... L’anno,il giorno e l’ora in cui Forse tu mi bacerai...”

Free image por Pixabay



O novo drama coreano na Netflix, Amor e outros dramas, traz uma bela trilha sonora, quase toda coreana. Mas a canção tema, recorrente nos vários episódios, é Quando Quando Quando, de Tony Renis e Alberto Testa, que concorreu ao Festival de San Remo (não ganhou), mas fez enorme sucesso em seguida, com várias gravações ao redor do mundo.


Amor e outros dramas (Our Blues, título em inglês) narra histórias de personagens na Ilha de Jeju, e é uma amostra da magia da indústria coreana em prender a atenção do espectador com o velho truque de contar uma história (no caso, várias histórias), recheá-lo com diálogos excelentes e performers melhores ainda. A edição é enxuta e não tem uma gota de gordura (encheção de linguiça comum nos dramas coreanos para plateias jovens e infantis). E, é claro, como todo drama romântico, trilha sonora impecável.


Em vários episódios, Quando Quando Quando é utilizada em versões na língua italiana e inglesa.


Naturalmente, para os conhecedores das produções coreanas, esse uso recorrente da música romântica italiana é chover no molhado. Os coreanos são os italianos do Oriente – lugar comum, mas verdadeiro – em quase tudo que importa: na criatividade, na expressividade entre as pessoas, no amor à comida e bebida (soju), na primazia que dão à família. Quem assiste pela primeira vez um drama familiar coreano imediatamente se lembrará de Visconti (Rocco e seus irmãos vem imediatamente à memória), e os gritos que a mamma dará em seus filhos, um pouco antes de entupi-los com macarrão al sugo e uma taça de vinho. Nos dramas coreanos, será lamen e soju. E lágrimas, e bofetões. E desespero. E finais felizes.


Se você se der ao trabalho indolente de ouvir Tony Renis e suas belas canções, descobrirá paralelos entre suas canções e personagens. Uma passada rápida e ouço Grande Grande Grande (não riam, ganhou o Festival de San Remo e fez um enorme sucesso na voz da cantora Mina), e lembrará imediatamente da bela Young-ok e seu apaixonado capitão Jeong-joon. Suponho (palavra educada para o famoso chutômetro) que outros personagens possam se comparar a outras canções, não só de Renis, mas também de outros compositores italianos.


Boa diversão. Se não gostarem da série, aproveitem para uma imersão nas canções românticas italianas dos anos 60. Não esqueçam os lenços.



Amor e outros dramas está com 10 episódios disponíveis na Netflix. São vinte no total. Elenco estelar, incluindo Lee Byung-hun, com uma vasta filmografia na Coréia e no Ocidente. Escrito por No Hee-kyung, que é uma especialista em retratar pessoas comuns de maneira realista, cerebral e em profundidade, segundo a Wiki. Ponto para a Wiki. Imperdível. Na Netflix, dela, você encontra Dear My Friends (assisti) e Ventos de Inverno. Quando Quando Quando ficou em quarto lugar no Festival de San Remo em 1962. Quem ganhou foi Domenico Modugno, com Addio...addio, que não teve tanto sucesso. Foi gravada, além do próprio, por Connie Francis, Pat Boone, Michael Bublé. Grande Grande Grande foi cantada por, entre outros, Julio Iglesias, Shirley Bassey, Celine Dion (com Pavarotti). Uma imersão nas canções italianas dos anos 60 vem a calhar, nestes tempos irados. Sugiro começar com os vencedores de San Remo. A canção romântica italiana deveria ser declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Comments


bottom of page