top of page

TRAUMAS

Do limão, faça uma limonada. Aproveite e agrade a mulher amada.


Martha Rocha


Um dos grandes traumas do Brasil foi a derrota da seleção brasileira pela Alemanha, o famoso 7x1. Eu, pouco afeito ao futebol, desisti de acompanhar os jogos da seleção, o que sempre fazia, a cada Copa do Mundo. Humilhação por humilhação, basta o pão seco de todos os dias, pensei. E segue o baile calmamente. Este trauma reabriu a ferida de 1950, com a ensurdecedora derrota da seleção brasileira para o Uruguai, por 2 a 1. Mas talvez a maior de nossas humilhações, uma das origens do nosso complexo de vira-lata (obrigado, Nelson Rodrigues), foi a derrota de Marta Rocha no concurso de Miss Universo, em 1954, dizem, por ter duas polegadas a mais nos quadris.

Que ano aquele, o de 1954. Em julho, Martha Rocha perde o concurso de Miss Universo. Em agosto, a crise político-militar culmina com o suicídio de Getúlio Vargas, após uma virulenta campanha encabeçada por Carlos Lacerda (“Mar de Lama no Palácio do Catete”). Aqui no Paraná, em dezembro, o governador Bento Munhoz da Rocha inaugura o Palácio Iguaçu, despede-se com um baile de gala – sua despedida da vida pública, como mostra a história – e finalmente o ano se encerra, e o país se prepara para um 1955 não menos palpitante, com direito a golpes de Estado, contragolpes, discursos e um julgamento do STF (o do vice-presidente Café Filho, pleiteando no STF o que não conseguira pela força das armas. Levou um sonoro não, e entrou para a história).


Mas na terra das Araucárias, lar dos papagaios, paraíso dos polacos (ou poloneses?), a terra dos piás que bebem gasosa Cini e da ucraniana Helena Kolody, era também a terra de adoção de Jesus Alvarez Terzado, imigrante que havia aberto a Confeitaria das Famílias em 1945 – ali mesmo no calçadão da XV onde está até hoje – após uma longa peregrinação por Cuba, Argentina, Portugal, França e Itália, além de Campinas e Rio Grande. Em Curitiba, finalmente, ele conseguiu assentar, pobre sans-terre espanhol. Jesus era casado com Dair, que, como todos os brasileiros, havia se chocado com a perda do concurso de Miss Universo por Martha Rocha. Para consolar Dair, Jesus pegou uma receita antiga, rebatizou-a com o nome de Martha Rocha, acrescentando um disco de duas polegadas de suspiros, e assim transformou o trauma em doçura.

Há divergências nesta história. Se você fizer como eu, e pesquisar no oráculo Google, descobrirá que em uma das versões, a torta foi inventada pela própria Dair; em outras, Jesus tinha a receita, a qual acrescentou as fatídicas duas polegadas de suspiros. Gosto desta versão, mais romântica, em que um chef amoroso consola sua amada com açúcar e afeto. É o que fazem os apaixonados, e eles ainda estavam em lua de mel (tinham se casado três anos antes).


Foto de Hatsuo Fukuda



Qual a verdade histórica? Não sei. Se isso importa para você, faça como os acadêmicos, e leia muitos livros e faça pesquisas de campo. Fica a dica. Eu, da minha parte, farei o teste factual que realmente importa: vou às confeitarias da cidade para provar as diversas variedades de Martha Rocha, como sempre fiz. Sem traumas.


Quanto aos 7x1, sugiro que comece a torcer em campeonatos de bolinhas de gude. Bem melhor do que acompanhar mercenários sem-noção.


Martha Rocha, a miss, era uma deusa. As duas polegadas foram uma invenção de jornalistas para consolar a patuleia, que acompanhava o concurso como final de copa de mundo. Vale aqui a frase imortal de John Ford: “Entre a verdade e a lenda, publique-se a lenda (em “O Homem que matou o facínora”)”. Martha confirma que nunca mediram os seus quadris. Há várias receitas da torta na internet. A original é coberta com um disco de duas polegadas de suspiros; deve ser montada na hora, caso contrário os suspiros se derretem. Você pode encontrar os discos de suspiros na feira livre do Juvevê. É fatal para diabéticos, mas como estes continuam comendo a torta, suponho que isso só importe para os médicos que os tratam. Se não quiser por a mão na massa, faça o circuito das confeitarias. Nenhuma tem as duas polegadas (5cm). Na Confeitaria das Famílias, a torta é feita somente sob encomenda. As fatias no balcão são fake. Aproveite para conhecer a cidade. Bon appetit.

Comments


bottom of page