top of page

OOSTHUIZEN AMARELOU

Oosthuizen é um David Simms piorado…


Imagem de Hebi B. por Pixabay

US Open 2021. Último grupo. Último buraco. Louis Oosthuizen ( África do Sul ), o único jogador que pode tirar o título do espanhol Jon Rahm, precisa fazer um eagle. Acontece que seu driver o colocou no rough. Ele precisa tentar um arriscado tiro sobre o lago para ter uma chance real de fazer um eagle. E amarela. Opta pelo lay up, mesmo ciente de que está abrindo mão da vitória.


Para quem viu o filme O Jogo da Paixão, USA, 1996, estrelado por Kevin Costner, a vida imitou a arte. O filme é um clássico imperdível para quem ama jogar golfe ( se não é o seu caso, provavelmente, você está achando esta leitura uma total perda de tempo… ). Roy McAvoy ( Costner ) é um profissional de golfe muito talentoso, mas cuja carreira foi arruinada por ter um estilo de jogo quase irresponsável. Ele sempre se arrisca nas tacadas mais difíceis e paga um pesado preço. Na verdade, trata-se de um problema psicológico que ele enfrenta. No filme é ajudado por Molly ( Rene Russo ), uma psicóloga, e por Romeo ( Cheech Marin ), seu caddie.


O vilão do filme é o profissional do golfe muito bem sucedido David Simms ( Don Johnson ), igualmente talentoso, mas cujo golfe é extremamente conservador e cauteloso. Depois de muitas histórias, o filme atinge o clímax: ambos estão no último buraco do US Open, como último grupo. Para alcançar o líder ( que já terminou o jogo ), Johnson precisa de um birdie. Mas para isso precisa dar uma arriscadíssima tacada por sobre um lago e então dois putters. Tal qual na vida real, trata-se de um par 5. Ele amarela, assim como Oosthuizen. Prefere um lay up que o conduz ao par e ao segundo lugar do torneio.


Na vida real, mais correto é dizer que Oosthuizen amarelou tal qual David Simms. O que mais chama atenção no caso real é que o sul africano não tinha nada a perder! Mesmo que tudo desse errado - afinal a bola não estava exatamente bem colocada no rough - e ele colhesse um bogey, seria segundo colocado, ainda que empatado com Harris English. Para Oosthuizen, um profissional muito bem sucedido, isso seria nada. Mas ele não quis correr o risco. Isso faz dele, para mim, o maior exemplo de amarelão no golfe, muito mais que Van de Velde ou qualquer outro. Simplesmente porque ele podia correr o risco e não quis.


Claro, eu entendo o valor da estratégia no golfe. A prudência é sempre boa companheira do golfista. Qualquer golfista sabe que o comportamento de McAvoy neste último buraco - tentando a mesma tacada de longa distância várias vezes, até arruinar totalmente seu cartão - é completamente sem sentido. Mas a covardia de David Simms e, muito mais, a covardia de Louis Oosthuizen é igualmente inaceitável. Simms ao menos poderia dizer que achou que tinha mais chances de fazer o birdie a partir do lay up. Oosthuizen não pode dizer o mesmo, pois precisava de um eagle. No caso do sul africano foi só falta de têmpera, de vontade de vencer, de coragem, enfim.


Uma última observação: Roy McAvoy tem semelhanças com um quase xará - Rory McIllroy ( um menino, quando o filme estrelou ). Claro que Rory não é tão maluco… e muito bem sucedido.


Se você não joga golfe e chegou até aqui, não lamente. Veja o filme. Ele é muito bom mesmo para quem não joga. E quem sabe não levará você a tentar praticar o esporte?


Comments


bottom of page