top of page

REPUBLICANDO CURITIBANICES - O ARTISTA PRESENTE

Poty Lazzarotto está em Curitiba, em todos cantos, pra quem quiser ver...


Painel de Poty na Praça 19 de Dezembro.

Curitiba sempre teve o privilégio de contar com grandes artistas entre seus habitantes - Alfredo Andersen, Lange de Morretes, Miguel Bacun, Guido Viaro, Erbo Stenzel e tantos outros - mas nenhum deles chegou mais perto do povo curitibano que Poty Lazzarotto. Afinal, seus maravilhosos murais estão espalhados pela cidade, dizendo presente todo dia ao povo curitibano, amenizando a crueza da rotina da sobrevivência.


Embora muitos pensem que o artista tinha ascendência polonesa, Poty era filho de italianos. Seu nome verdadeiro era Napoleon Potyguara Lazzaroto, mas todos o conheciam simplesmente por Poty. Poucos sabem, igualmente, que a vida artística de Poty recebeu uma mãozinha do interventor de Getúlio no Paraná, Manuel Ribas, o famoso Maneco Facão. O interventor era frequentador do restaurante mantido pela mãe de Poty, Dona Julia. Em certa ocasião, já ciente dos dotes artísticos do rapaz, premiou Poty com uma bolsa de estudos na Escola Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro, onde Poty se graduou em 1945.


Poty foi ilustrador reconhecido pela qualidade de seus desenhos, tendo colaborado em revistas ( como Joaquim, capitaneada por Dalton Trevisan ) e jornais ( Manhã de Samuel Weiner, Folha Carioca, onde ilustrou crônicas de Carlos Drummond de Andrade ). Era, em verdade, um artista múltiplo, que dominava várias técnicas, mas especialmente apreciado como ilustrador de obras literárias. Para que se tenha ideia, Poty ilustrou obras de Dalton Trevisan, Guimarães Rosa, Jorge Amado, Gilberto Freire, Rachel de Queiroz, entre muitos outros.


Para o curitibano, contudo, é o artista amigo, companheiro das cenas urbanas. Você, cidadão curitibano, certamente conhece Poty pelas obras espalhadas pela cidade. Mas, se quer conferir seus painéis, recomendamos, entre tantas obras:


  • Painel em azulejos na Praça 19 de Dezembro em homenagem ao centenário do Paraná;


  • Painel em azulejos no Largo da Ordem em homenagem a colonos italianos e poloneses;


  • Painel em concreto na entrada do Teatro Guaíra;


  • Painéis em azulejos na Ordem dos Advogados do Brasil/PR, na Rua Brasilino Moura;


  • Monumento ao tropeiro, na Lapa;


  • Os maravilhosos vitrais da biblioteca da PUC/PR sobre a evolução da comunicação;


  • Painel no aeroporto Afonso Pena sobre a evolução da aviação;


  • Ainda, há obras no Largo da Ordem, no Palácio Iguaçu, na Travessa Nestor de Castro, na Torre Panorâmica da Telepar, no Bosque João Paulo II, no Mercado Municipal, no Centro Politécnico e muitos outros locais.



Poty Lazzarotto, genuinamente curitibano, aqui nasceu em 1924; aqui faleceu em 1998, aos 74 anos de idade.



Comments


bottom of page